Akira Cravo

Senses


akira


A Bahia, terra cheia de mistérios, mitos e sentidos, longes e pertos, mas sempre aqui. Nesta mostra  estamos dando um salto para ver essas imagens, e entrando no universo da magia, que mostra uma Bahia antiga, um povo belo por sí próprio, pela poesia do olhar, eles tem a vaidade natural, a beleza está no entorno do cenário, e principalmente neles.

A poesia vem do pensamento, do sentimento.

A mais pura expressão interna de um pensador seja ela na escrita, na  pintura ou na fotografia.  Colocar para fora aquilo, no ato mágico de apenas um click e criar um semblante, uma marca, como uma cicatriz que  jamais será apagada. O enquadramento diz tudo. O mais pulsante corte entre corpos, rostos,  semelhanças que formam  um quebra- cabeça na montagem do conceito temático da obra. Trago o torso, o corpo e o rosto. Junto e separado em imagens pulsantes, coloridas, cheias de vida, de força e de fé.


Biografia

Nascido em 1991, em Salvador-Ba.

Estimulado desde criança com o universo criativo da família, seu pai, o artista plástico, fotógrafo, Mario Cravo Neto e sua mãe a artista plástica, Angela Cunha, pinta, cria objetos e manuseia o barro. Em 2008, com dezesseis anos, começa a interessar-se por fotografia.
Com a primeira máquina fotográfica, inicialmente utilizando-se da função macro, faz fotografias da natureza e abstratas, entusiasmado e contando com o apoio do pai que sempre o motivava. Em 2009, após o sofrimento e o difícil período da perda prematura do pai, surge a busca de um objetivo, uma razão maior que dê continuidade a própria vida – a fotografia. Intuitivamente foca o olhar na interação do homem com a natureza. Encontra nas ruas da Bahia e no seu povo a motivação para seu trabalho. Em 2010, diversifica o interesse e passa a estudar e trabalhar com escultura em argila, no atelier da ceramista Dalva Bonfim. Em 2011, frequenta o Espaço Cravo com o intuito de enriquecer seu conhecimento técnico, tendo como mestre seu avô o escultor Mario Cravo Junior. Em 2012, volta-se para o trabalho em fotografia de arte e resolve interagir nos locais mais populares e ativos da cidade, a feira de São Joaquim e a festa de largo da cidade do Salvador. O interesse crescente leva-o a fotografar a festa de Santo Amaro da Purificação, mais conhecida como Bembé. Em 2013 passa a morar em São Paulo, onde vive e trabalha durante 6 meses com os fotógrafos Jr Duran e Araquém Alcântara. Em 2014 e 2015 viajou a Bom Jesus da Lapa para fotografar a Romaria, ainda em 2015 fez Workshop com o fotografo Walter Firmo no intuito de conhecer a festa do Bumba meu Boi em São Luis do Maranhão e a romaria do Padre Cícero em Juazeiro do Norte,Ce.


Anúncios